⧘ Vaiapraia & As Rainhas do Baile ⧙  ►  ZDB

⧘ Vaiapraia & As Rainhas do Baile ⧙ ► ZDB

Embora estejamos em Janeiro, a meio do Inverno, decidimos tirar um dia para ir a praia. Parecia quase um dia de Agosto em que não conseguimos estender a toalha no areal devido à multidão que se junta para apanhar um pouco de sol e dar uns belos mergulhos. Como se encontra lotada uma praia no meio da cidade de Lisboa em pleno inverno, é uma questão bastante pertinente e não, não estamos loucos nem nada que se pareça.A noite estava escolhida. Dia 7 de Janeiro será o dia em que os internautas tiveram o privilégio de ouvir ao vivo o primeiro álbum de Vaiapraia e das suas Rainhas do Baile e as Savage Ohms. Quando um concerto está esgotado é porque algo de especial aconteceu ou está para acontecer.

****** Adivinhem ******

THE NIGHT WAS SOLD OUT

A noite começou com uma espécie de powerpuff girls japonesas. Isto a julgar pelos kimonos e pela anterior festa da Spring Toast, estas powerpuff girls começaram de forma serena e sinuosa a invadir as nossas mentes de boas energias, e sem acrescentar nenhum apontamento vocal fizeram-nos refletir e viajar, como que uma máquina do tempo que nos levou até 1755 (devido ao mote da noite).  Na realidade foi isso que aconteceu enquanto Beatriz Diniz ( baixo ), Joana Figueiroa (guitarra), Teresa Castro (bateria) e Violeta Azevedo (sintetizador) completavam a sua jornada connosco o palco ai se modificando as características da época para onde  nos tinham levado.

Ninguém acreditaria no que naquele espaço iria acontecer. Com uma troca de bandas tal como uma mudança de música num dj set, apareceram as Rainhas do Baile e passado alguns momentos, o trio estava reunido. No Aquário existiam letras decoradas, vergonhas deixadas em casa e glitters na cara. Dentro de palco, Lucía, Frankie e Rodrigo levaram todos que estavam presentes numa viagem até 1755. Não estamos a falar do terramoto de Lisboa, não. Estamos a falar de outro terramoto cheio de libidos, amores sem barreiras e de infelizes desencantos. Durante o concerto também houve momentos para o Rodrigo falar sobre uma tal Sofia que pegava em animais, derramava cera e látex e fazia fatos com eles (a magnífica peça que tinha vestida). Algo não tão estranho que ele explicou foi que alguém iria ganhar uma leitura de tarot com uma historiador de arte medieval. Infelizmente, nenhum de nós foi o sortudo.

Profundo, intenso e sentido onde nada parece mal e cada um sabe como quer digerir o que ouve. Este disco foi um tesouro tardio num ano triste. Músicas sobre Hollywood (felizmente com pessoas que ainda estão vivas), coelhinhos felpudos e felizes, piropos e sinos infelizes estão presentes. foi com este disco que meteram pessoas a voaram fisicamente e espiritualmente nesta noite Resumindo, todos que estiveram presentes na ZDB neste dia eram lindos de morrer.

Chamem lhe o que quiserem. Pop Punk, Riot Grrrl ou Queercore . Eu digo isto: Obrigado Vaiapraia e Rainhas do Baile pelo o álbum, pelo concerto e pelo o que futuramente vão fazer em Portugal. Nunca se esqueçam que o que fazem, é algo único e especial.

FOTOS SAVAGE OHMS

FOTOS VAIAPRAIA & AS RAINHAS DO BAILE

    Texto: Gonçalo Morgado e Vítor Cavalheiro || Fotos: Ana Viotti e Gonçalo Morgado || Capa: Vítor Cavalheiro

Cage The Elephant | Se todas as semanas começassem assim | Porto

Cage The Elephant | Se todas as semanas começassem assim | Porto

•Festa Galgo #2• ZDB

•Festa Galgo #2• ZDB